O vinho da Consoada de 2009

Um tinto Alentejano de 2003, em garrafa de 1500ml. Quinta do Carmo. A família achou-o muito bom. Como dizia a minha Avó Olinda, Deus dê saúde a quem mo deu.
Acerca do Vinho, reza assim o Rótulo:
Os antigos vinhedos deram a notoriedade aos vinhos da Sociedade Quinta do Carmo, S.A. Desde 1992, os Domaines Barons de Rothschild (Lafite) e, mais tarde, o sócio Senhor Comendador José Berardo, levaram à propriedade o seu renascimento, sendo acompanhado de novas plantações e de uma adega renovada. Plantadas em terrenos argilo-xistosos, as castas Aragonês, Alicante Bouschet, Trincadeira e Castelão, complementadas agora com Cabernet Sauvignon e Syrah no vinho da Quinta do Carmo, com renome pela sua concentração e elegância. Os métodos de cultura e vinificação respeitam a tradição com integração das novas tecnologias que permitem exprimir o melhor da tipicidade do Alentejo. O vinho passa por um estágio de um ano em barricas de carvalho francês, antes de ser engarrafado na Quinta.
Prova (claro que fui buscar o último parágrafo a quem sabe escrever porque gostou. Eu só sei dizer «huuum! coisa boa!»):
«Apresenta uma cor rubi muito escura, demonstrando muita concentração. Os aromas são também bastante marcados a frutos maduros e uma leve presença a madeira que se pode dever ao facto de ter tido um estágio em Carvalho Francês de um ano. O final é persistente, mas de uma complexidade acima da média. Gostei deste vinho, principlamente da persistência do paladar e do aroma verdadeiramente a frutos vermelhos.»

2 comentários:

Luisa Moreira disse...

Muito Bom, vinho.

Abraço
Luisa

Guidinha Pinto disse...

É, também achámos que sim :).
Beijo