Coelho à minha moda

Primeiro, algumas informações dietéticas. Quem tem o ácido úrico fora do normal, tem de ter cuidado com o que ingere. Carnes, devem ser velhas. O sangue, está proibido. Quero com isto dizer que este coelho, oferta da minha Prima Laurita, pesava quase 1 quilo e oitocentas gramas. Era um senhor coelho, não um garoto coelho de quilo e meio. O mesmo se passa com as aves. Frango é filhote adolescente. Uma galinha ou um galo são os pais ou avós. São estes que nós devemos sacrificar. Para não termos um dia uma pedreira a ser excretada pelos nossos rins.
Voltemos à receita então. Eu arranjo o coelho do seguinte modo. Tiro todas as gordurinhas, limpo bem por dentro e depois lavo-o à torneira. Seco-o com papel de cozinha e disponho-o numa tábua onde o vou cortar. Corto-o em pedaços grandes. Deixo-o a marinar de véspera em: 1 cebola grande às meias luas, 1 cabeça de alhos despelados e amassados, duas folhas de louro, 1 pitada de cominhos e vinho tinto maduro (usei um Ribatejano, Adega da Ribeira).
No dia seguinte, à falta de um tacho de barro que se rachou da última vez e não comprei outro, coloquei um fio bom de azeite e uma colher de banha de porco (obrigada Nandinha, quando da matança, trouxeste-me um frasco de banha de porco branquinha, parece manteiga). Cortei dois tomates médios vermelhos e rijos, com pele mas espremidos para levemente cozerem e juntei de seguida o coelho e a marinada e um molhinho de salsa, no centro. Dei uma mexedela para misturar os ingredientes. Tapei, em lume médio e marquei 30 minutos. Passado esse tempo o vinho tinha reduzido. Juntei um pouco mais de vinho tinto, para acabar de cozer. Temperei com pimenta preta moída e sal q.b., provando o molho. Eu provo sempre a comida que preparo. Perto dos 50 minutos, o coelho estava cozido, mas não demais.
Para acompanhar fiz puré de batata da Maggi e uma salada fresca com tomate, alface e folhas de endívias.

5 comentários:

a Trofa tem cozinheira disse...

ADORO COLEHO!! gostei da tua moda!!!

Tina disse...

nham nham! lá por casa só eu gosto de coelho e por isso nunca se faz, já nem me lembro da ultima vez que o comi preparado pela minha avó de forma parecida com a sua. Até lhe estou a sentir o gosto!
Beijinhos

Luisa Moreira disse...

Gosto imenso de coelho, cá em casa mais ninguém o come, por isso degusto-o com muito prazer em casa da tia Ivone. Fiquei com água na boca.

Boa receita

Luisa

Guidinha Pinto disse...

Para quem não gosta de coelho caseiro, aqui fica alguma informação nutricional e a certeza de ser uma carne muito saborosa e das mais saudáveis que se podem comer:
http://correiogourmand.com.br/info_glossario_produtos_alimentos_carnes_mamiferos_coelho.htm

Amiga da Trofa, Tina e Luisa Moreira, toca a preparar coelho, que nós, as donas de casa que gostamos de cozinhar, temos a obrigação de variar a alimentação dos nossos e dar tudo a provar. Primeiro provam, depois logo dizem se gostam e depois adivinham o que é.
Beijos para as três.

suruka disse...

Olá

Muito obrigado pela visita
Bem vim ter a um local daqueles que nos fazem crescer agua na boca.

Voltarei

Obrigado