Sardinhas fritas

Enfarinhadas
a fritarem
Fotos de Guidinha Pinto: o molho

A sardinha é um peixinho delicioso. Desde pequena que como sardinhas e gosto muito. Sou portuguesa portanto nada de espanto. Simplesmente ensinaram-me a gostar.

Apresento aqui uma receita que me leva aos meus tempos de menina pequena, quando ía passar as férias para a serra, com a minha avó Olinda. Sou do século passado :), do tempo da não existiência de electricidade - usava-se o Petromax ou a candeia de azeite ou a de "pitróleo" - nem de água encanada nas torneiras - ia-se buscá-la às nascentes, com bilhas à cabeça - nem tão pouco casinha de banho. Ao fim e ao cabo era o tempo de não haver dinheiro a girar nas mãos das pessoas (suspirei).
Há receitas que viajaram no tempo e esta é uma delas. Ora, nesse tempo, era hábito o peixe ser vendido de terra em terra, transportado dentro de canastras forradas e cobertas com fetos. A sardinheira - a D. Emília já se foi há muitos anos - trazia a canastra à cabeça sobre uma rodilha para a equilibrar melhor. Lembro-me de ouvi-la afirmar que a sardinha era da Figueira, se algum freguês as chamasse de ardidas. Mulheres e homens iam-se aproximando da Ti'Emília das Ladeiras, à medida que ela ia descendo o povoado. Compravam o que as suas parcas posses podiam comprar - umas sardinhitas com sal por cima, à laia de as conservar. Quantos quilómetros aquela pescaria não percorria e há quanto tempo por ali andavam a dançar dentro da canastra.!!! Hoje, quando lá estou e digo contente que o nosso almoço vai ser sardinhas fritas ... os da serra fazem logo caretas. Pois coitados, ficaram fartos. Mas de miséria. É que uma sardinha era para três. Quem comesse o meio, para a próxima comia a cabeça :( Guardavam-se, depois de fritas, dentro de recipientes de barro cobertas com o molho da fritura, a modos que se conservavam durante alguns dias. Lá na casa, a travessa ficava dentro de uma das gavetas da mesa, ao lado da gaveta do mel e da broa. Lembro-me como se fosse ontem. E como é uma boa lembrança, repito-a e revivo os momentos e as pessoas desses tempos.
Bem, vamos lá: A sardinhita, é o tema de hoje.
Receita. Compro um saco de sardinhas congeladas de 1 kg, quando não as há frescas. Ponho-as a serem descongeladas na parte baixa do frigorífico. Quando descongeladas, lavo-as debaixo de um fio de água da torneira, retiro as escamas com a ponta dos dedos, levemente; corto a cabeça rente e tiro para fora as tripas. Vou-as colocando dentro de um alguidar com água fria e salgada. Deixo-as estar uma horita. Passado esse tempo, seco-as muito bem (utilizo papel de cozinha) e passo-as por farinha de trigo. Numa frigideira anti aderente coloco óleo de amendoim ou de soja e azeite em partes iguais. Fatio 5 a 6 dentes de alhos roxos, com a pele, lavo duas folhas de louro e salpico o preparado com umas pedrinhas de sal. Juntos vão a aquecer na gordura, em lume médio. Quando começarem a deitar "aquele" aroma, ponho as sardinhas a fritar. Quando estiverem "tesinhas", retiro-as. Escorrem em papel de cozinha. Com muito cuidado, filtro a mistura das gorduras e aproveito metade, que volta de novo ao lume, em frigideira limpa. Fatio mais alhos, e junto mais duas folhas de louro. Quando começarem a borbulhar, espero um pouquinho e a seguir esguicho um pouco de bom vinagre de vinho - cerca de 2 a 3 colheres de sopa - e mexo para evaporar o ácido. As sardinhas já estão dentro de um recipiente onde vão ser regadas com este molho. Quentinhas, acompanhadas de uma batata cozida e de uma salada verde ... com uns pedacinhos de pão de segunda a namorarem o molho ... huuuummm ... delícia.
Se por acaso sobrarem algumas, melhor. No outro dia, com os dedos a servirem de talher, pego nas lasquinhas brancas e húmidas de molho e coloco-as em cima de uma fatia de pão ... divinal.
Comida de pobre? Talvez. Mas não esqueço que as sardinhas contêm Omega3, um dos lípidos bons para o coração. E mais não digo. Quem quiser provar não se vai arrepender. Bom apetite ;)

3 comentários:

Tina disse...

que saudades me deu.... ate lhe consegui sentir o cheiro.......
Ah ja fui visitar a sua Bianca. Ela nasceu para ser fotografada e mimada, nao foi?
A minha filha adora gatos e criou um blog, passe lá a visita la, ela iria ficar muito contente........
http://gatos-e-coisas-giras.blogspot.com/

Bom fim de semana

Margarida disse...

Oi Guidinha.
Esta receita eu não conhecia, é um manjar.
Talvez não volte a comê-las, o que é bom também se acaba, ai, ai.
Pois eu bem me lembro de comer a parte do meio e não gostava nada.
bjs da guida

Anynha Crochê disse...

Olá Amiga!!!

A cada dia de nossa vida, aprendemos com nossos erros ou nossas vitórias, o importante é saber que todos os dias vivemos algo novo. Que o novo ano que se inicia, possamos viver intensamente cada momento com muita paz e esperança, pois a vida é uma dádiva e cada instante é uma benção de Deus.
A Verdade é o caminho, o Bem é a ação, o Belo é o sentimento. Esta é a prática para ser Feliz. Usem-na, feliz Ano Novo 2008!!

Bjuss...